NUTESES
 
SISTEMA DE PUBLICAÇÃO ELETRÔNICA DE TESES E DISSERTAÇÕES | BUSCA |

Warning: in_array() [function.in-array]: Wrong datatype for second argument in /home/webtedenuteses/html/tde_busca/biblioteca/mostraResultados.inc on line 828
Pesquisa resultou em: 1 registro(s)
Páginas:
Primeira | 1 | Última
Resultado(s) [1 - 1]
Total de Páginas: 1
1
Autor: Alexandre Carriconde Marques
   
Título(s):
[pt] Qualidade de vida de pessoas com Síndrome de Down, maiores de 40 anos, no estado de Santa Catarina
[en] Quality of life of people with Down Syndrome , ages 40 and up, in Santa Catarina
   
Instituição de Defesa: Universidade Federal de Santa Catarina
   
Resumo(s):
[pt] Atualmente, nos países de Primeiro Mundo, pessoas com Síndrome de Down (SD) vivem em média 55 anos. A evolução da expectativa de vida tem também transformado o paradigma que os identificava apenas como deficientes mentais, dependentes, doentes e incapazes de integrarem-se à sociedade, em indivíduos capazes de interagirem no meio em que vivem. O objetivo deste estudo foi verificar a qualidade de vida de pessoas com SD, maiores de 40 anos, do Estado de Santa Catarina. A pesquisa foi realizada em duas etapas: na primeira etapa buscou-se identificar uma amostra representativa dessa população. Utilizou-se na coleta de dados dessa fase, um questionário simplificado que permitiu cadastrar e caracterizar o perfil geral do estilo de vida de 65 sujeitos. Na segunda etapa selecionou-se uma amostra de 30 sujeitos (15 homens e 15 mulheres), para responder a uma entrevista semi-estruturada, visando a aprofundar a análise dos dados obtidos na primeira fase do estudo. Foi realizada também, nesta fase, uma medida objetiva da atividade física habitual, utilizado-se um pedômetro para verificar o número de passos durante dois dias da semana e outro no domingo. No tratamento estatístico foi realizada a análise descritiva, testes de associações e análise multivariada dos dados. A média de idade dos sujeitos foi de 44,6 anos (DP=5,7; 40,6 – 57,3); todos vivem em residências juntamente com seus familiares e nenhum mora em asilos ou instituições similares. O nível socioeconômico está situado na Classe D; 92,3% (n=60) dos homens e 100% (n=65) das mulheres nunca trabalharam fora do ambiente familiar ou da Instituição Especial e apenas um (1,5%) sujeito é alfabetizado. Daqueles que participaram da segunda fase (n=30), verificou-se uma média de idade de 46,7 anos (DP=5,2; 40,0 – 57,0, sendo que a idade média das mães quando do parto foi de 37 anos (DP=5,0; 29,9 – 45,0). A média para o peso corporal foi de 61,6 kg nos homens e 64,4 kg nas mulheres. Quanto à estatura, verificou-se uma média de 151,9 cm nos homens e 143,2 cm nas mulheres. O IMC médio para as mulheres foi de 31,3 kg/m2, e para os homens de 26,8 kg/m2, apresentando tendência à obesidade. As atividades da vida diária (AVDs) são realizadas com um bom nível de independência, enquanto que as atividades instrumentais da vida diária (AIVDs) apresentam um acentuado grau de dependência. Atualmente 70% freqüentam Instituições Especiais desenvolvendo atividades pedagógicas, profissionalizantes e serviços gerais. A saúde física e emocional do grupo é considerada boa, sendo a felicidade marca registrada. As atividades de lazer são basicamente passivas e assistir TV foi a preferida. Com relação à atividade física (AF), observou-se que 56,3% dos sujeitos fazem AF orientada na Instituição e 26,6% não realizam nenhum tipo de AF. Quanto à avaliação da AF habitual com o pedômetro, observou-se uma média total de 4.017 passos/dia (DP= 2.377; 662 – 9.636), com grandes diferenças interindividuais. A análise multivariada no agrupamento entre variáveis demonstrou que, como observado na análise descritiva dos resultados, o risco de sobrepeso/obesidade é uma característica mais ligada às mulheres, enquanto um maior nível de atividades físicas foi mais claramente associado ao sexo masculino.
[en] Nowadays in the first world countries, people with Down Syndrome live in average 55 years. The life expectancy increase has also changed the paradigm that used to identify them as sick, dependent and mentally ill, unable to interact with society, as individuals who are able to interact with environment. The aim of this study was to verify the quality of life of people over 40 with Down Syndrome in the state of Santa Catarina. The research was divided in two parts: in the first one the aim was to identify a representative sample of this population. A simplified questionnaire was used for collecting data at this stage which allowed to characterize and register of general life-stile profile 65 individuals. In the second part a sample of 30 people was selected (15 men and 15 women), to answer questions in a semi-structured interview, aiming to deepen the analysis of the data obtained in the first stage of the study. Also in this phase, an objective measurement of their usual physical activity was made using a pedometer to verify the number of steeps taken in two days of the week, and another one on sunday. In the statistical treatment, descritive analysis, association tests and multivariate analysis of the data were made. The mean age of the individuals was 44,6 years (SD=5,7; 40,6 – 57,3); all living in houses with relatives and none of them living in nursing or similar institutions. The social economic level is situated in the D class; 92,3% (n=60) of men and 100% (n=65) of the women have never worked outside the house or the special intitution, and only one (1,5%) woman was literate. Out of those who took part in the second part (n=30), mean age of 46,7 years has been verified (SD=5,2; 40,0 – 57,0) considering the average age of the mothers when giving birth 37 (SD=5,0; 29,9 – 45,0), the mean body weigth was 61,6kg in the men and 64,4kg in the women. As for stature an average of 151,9cm was verified in the men and 143,2cm in the women. The average body mass index (BMI) for the women was 31,3kg/m2 and for the men it was 36,3kg/m2, showing a tendency to obesity. Activities of daily life (ADLs) are accomplished with a good level of independence, while instrumental activities of daily life (IADLs) show a high degree of dependence. At the moment 70% attend special institutions developing pedagogical and professional activities and general services. The group’s physical and emotional health is considered good, being happiness their “trade mark”. Leisure activities are basically passive, watching TV being their favourite. Relating to the physical activities (PA), 56,3% of the individuals have oriented physical activities at the institution and 26,6% don’t do any kind of PA. As for the assessment of the usual PA with the pedometer, a total average of 4.017 steeps/day could be observed (SD=2.377; 622 – 9.636, with great interindividual differences. The multivariate analysis in the group of variables showed that, as observed in descritive analysis of the results, the risk of obesity is a characteristic more linked to women, while a higher level of physical activitye was more clearly connected to the male group.
   
Titulação: Mestre em Educação Física
   
Programa de Pós-Graduação: Educação Física
   
Área de Concentração: Não possui
   
Linha de Pesquisa: Não possui
   
Contribuidor(es):
[Orientador] Markus Vinicius Nahas
   
Assunto(s):
[pt] EDUCACAO FISICA
   
Local de defesa: Florianópolis - SC - BR
   
Data da defesa:
[pt] 12/2000
[en] 12/2000
   
Número de Páginas: 131
   
Arquivo(s):
PDF - Dissertação
Detalhar Incluir na pasta 
    


Resultado(s) [1 - 1]
Primeira | 1 | Última
Páginas:
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações
Busca  
Busca Avançada »
Pasta de Trabalho » Ajuda
Registros por página

v-IBICT | COPYRIGHT ©
desenvolvido para IE 5.0+
Universidade Federal de Uberlândia www.sibradid.eef.ufmg.br