NUTESES
 
SISTEMA DE PUBLICAÇÃO ELETRÔNICA DE TESES E DISSERTAÇÕES | BUSCA |

Warning: in_array() [function.in-array]: Wrong datatype for second argument in /home/webtedenuteses/html/tde_busca/biblioteca/mostraResultados.inc on line 828
Pesquisa resultou em: 1 registro(s)
Páginas:
Primeira | 1 | Última
Resultado(s) [1 - 1]
Total de Páginas: 1
1
Autor: Ludmila Nunes Mourão
   
Título(s):
[pt] A representação social da mulher brasileira na atividade físico-desportiva: da segregação à democracia
[] The social representation of Bazilian women in physical-sport activity: from exclusion to democratizion.
   
Instituição de Defesa: Universidade Gama Filho
   
Resumo(s):
[pt] O objetivo deste estudo, no quadro teórico-metodológico das representações sociais, na linha européia dessa abordagem, é descrever a significação das representações nucleares e periféricas associadas à mulher brasileira nas atividades físico-desportivas a partir de 1870, época que se caracteriza pela tendência a excluí-la dessas atividades, até 1950, quando se verifica um processo generalizado de democratização de seu acesso ao campo esportivo, que culmina com a primeira Olimpíada Feminina, ocorrida no Rio de Janeiro. Lançando mão de várias abordagens metodológicas, o estudo consiera: a) depoimentos de intelectuais brasileiros médicos, juristas e educadores envolvidos com a temática mulher e esporte, no último quarto do século passado e primeiro deste século (Nísia Floresta, João da Mata Machado, Rui Barbosa, Fernando de Azevedo, Orlando Rangel Sobrinho e Afrânio Peixoto); b) técnicas de entrevista semi-estruturada com informantes de elite, que se constituem em ícones do processo de emancipação da mulher brasileira no/através do esporte: (Maria Lenk, Yara Vaz, Aída dos Santos e Roselee Viana Ribeiro); e c) documentos da mídia, sobretudo a respeito dos Jogos da Primavera, Olimpíada Feminina organizada pelo Jornal dos Sports de 1949 a 1972. Os diferentes materiais são analisados e interpretados com suporte nos pressupostos teóricos da análise do conteúdo e do discurso, levando em conta algumas categorias fundantes da teoria das representações sociais, sobretudo das formulações de Abric e de Sá, relacionadas aos sistemas nuclear e periférico das representações. Os resultados indicam algumas mudanças expressivas no processo de emancipação da mulher no esporte, associadas ao sistema periférico. As evidências apontam para liberação crescente da prática esportiva feminina: maior mobilidade da mulher no campo esportivo, diminuição das restrições à prática de modalidades esportivas consideradas masculinas, diminuição do controle da família e do contexto micro-social sobre a escolha esportiva. Por outro lado, resistem mais firmemente as representações sociais nucleares: o espaço esportivo continua sendo concebido como típico do homem, que domina a cena esportiva em termos de cargos, honrarias, prestígio na mídia, patrocínio e retorno financeiro. Conclui´se que o processo de emancipação da mulher brasileira na prática do esporte, encorajado por algumas mulheres-ícones, vem se dando de modo não confrontativo, configurando um mecanismo de ocupação de espaço de forma não violenta, com estratégias eficazes em termos de prática, e menos eficazes em termos das representações. Comprova-se que as mulheres esportistas continuam a arcar com o ônus das avaliações negativas e restritivas, associadas à troca do espaço privado pelo espaço público no esporte. A tese fornece evidência positiva para a hipótese de que as representações e as práticas associadas a um mesmo campo simbólico, embora dinamicamente diferentes, engrendram-se reciprocamente.
[] With support provide by the theoretical and methodological framework of the European approach to social representations, this dissertation describes the meaning of nuclear and peripheric representations associated with Brazilian woman in the physical-sport activity from 1870, when women tended to be excluded from these activities, to 1950, when there was a widespread process of democratization of women’s access to sports which culminated in the first Women’s Olympic Games, in Rio De Janeiro. With the support of several methodological approaches, the study considers: a) the testimony of Brazilian intellectuals- medical doctors, jurists and educators-involved with the issue of women in sports, in the last quarter of the nineteenth century and the first quarter of the twentieth century (Nísia Floresta, João da Mata Machado, Rui Barbosa, Fernando de Azevedo, Orlando Rangel Sobrinho e Afrânio Peixoto); b) semi- structured interviews with elite informants considered icons of the movement of women’s emancipationin/through sports: (Maria Lenk, Yara Vaz, Aída Dos Santos and Roselee Viana Ribeiro); and c) documents of the media, mainly those concerned with the Spring Games, the first Women’s Olympic Games, organized by the Periodical of the Sports of 1949 the 1972. The interpretation and analysis and on some fundamental categories of social representations, especially the formulations of Abric and Sá, concerning the nuclear and peripheric systems of the representations. Results indicate to some expressive changes in the process of women’s emancipation in sports associated with the peripheric system. The evidence points to an increasing emancipation in women sports practice: more mobility in the sports scene, a decrease in the restrictions on women’s participation in sports considered to be masculine, a decrease in the control of the family and of the micro-social context over the choice of sports. On the other hand, the nuclear social representations have been more resistant to change, continuing to conceive the sports space as being peculiar to men, who dominate the sports scene in terms of positions, honors, prestige in the media, sponsorship and financial return. We conclude that the process of Brazilian women’s emancipation in sport, encouraged by some women-icons, is taking place in a non-confronting manner revealing a non-violent mechanism of space occupation, with efficient strategies in terms of practice, but not as efficient in terms of representations. All in all, we are led to conclude that women athletes still have to put up with the consequences of negative and restrictive evaluations, associated with the change from private space to public space in sports. The studies supplies positive evidence for the hypothesis that, although dinamically different, the representations and practices associated with the same symbolic field are reciprocally engendered.
   
Titulação: Doutor em Educação Física
   
Programa de Pós-Graduação: Educação Física
   
Área de Concentração: Não possui
   
Linha de Pesquisa: Não possui
   
Contribuidor(es):
[Orientador] Sebastião Josué Votre
[Membro da Banca] Nilda Teves Ferreira
[Membro da Banca] Manoel José Gomes Tubino**
[Membro da Banca] Emmi Myotin 1
[Membro da Banca] Helena Theodoro Lopes
   
Assunto(s):
[pt] Educação física
[pt] representação física
[pt] representação social
[pt] mulheres
[pt] esportes
[pt] Brasil
[pt] história
[] Physical education
[] Physical representation
[] social representation
[] women
[] sports
[] Brazil
   
Local de defesa: Rio de Janeiro - RJ - BR
   
Data da defesa:
[pt] 09/1998
[en] 09/1998
   
Número de Páginas: 217
   
Arquivo(s):
PDF - PDF - Tese
Detalhar Incluir na pasta 
    


Resultado(s) [1 - 1]
Primeira | 1 | Última
Páginas:
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações
Busca  
Busca Avançada »
Pasta de Trabalho » Ajuda
Registros por página

v-IBICT | COPYRIGHT ©
desenvolvido para IE 5.0+
Universidade Federal de Uberlândia www.sibradid.eef.ufmg.br