NUTESES
 
SISTEMA DE PUBLICAÇÃO ELETRÔNICA DE TESES E DISSERTAÇÕES | BUSCA |

Warning: in_array() [function.in-array]: Wrong datatype for second argument in /home/webtedenuteses/html/tde_busca/biblioteca/mostraResultados.inc on line 828
Pesquisa resultou em: 1 registro(s)
Páginas:
Primeira | 1 | Última
Resultado(s) [1 - 1]
Total de Páginas: 1
1
Autor: José Antônio Caldas Teixeira
   
Título(s):
[pt] Estudo comparativo da função ventricular esquerda durante um exercício isométrico sustentado de diferentes massas musculares.
[en] A comparative study of left ventricular performance during an isometric sustained execise with group of different total muscle mass working with the same relative strength and duration
   
Instituição de Defesa: Universidade Federal do Rio de Janeiro
   
Resumo(s):
[pt] O propósito básico deste estudo foi verificar, através da análise da função ventricular por parâmetros ecocardiográficos, Freqüência Cardíaca e medida indireta da Pressão Arterial Sistêmica, se esforços isométricos sustentados, englobando grupamentos musculares de massa total diferente, desencadeiam respostas cardiovasculares diferentes, apesar de trabalharem num mesmo percentual da força máxima voluntária e igual duração. Utilizou-se dezessete indivíduos saudáveis sedentários, estudantes de Medicina da U.F.F., tendo-se média de idade de 23,5 anos. Representando o grupamento de menor volume muscular, tivemos a execução do esforço isométrico sustentado de prensão manual - Handgrip Sustentado (HGS). Para o esforço de maior volume muscular realizou-se a Extensão Isométrica Sustentada de Ambas as Pernas (E. I. S. A. P.). Ambos foram executados em decúbito dorsal, com cabeceira elevada a 30 graus. Os testes tiveram a duração de 1 (um) minuto, trabalhando-se a 50% (cinqüenta) da força máxima voluntária. O HGS era realizado com o braço dominante em posição supina e a E.I.S.A.P. era realizada com ambas as pernas em ângulo de 90º-100º, ao nível do joelho. Evitava-se a manobra de Valsava durante o esforço. Após a obtenção dos registros ecocardiográficos, suas medidas eram feitas por três AVALIADORES independentes. Os parâmetros hemodinâmicos - Freqüência Cardíaca, Pressão arterial sistólica e Pressão arterial diastólica - mostraram significante (p<0,05) elevação, tanto para o HGS quanto para o E.I.S.A.P. Ao comparar-se os deltas médios dos picos dos esforços, confirmou-se a hipótese do estudo como a E.I.S.A.P. desencadeando maiores e mais significantes alterações. Para as medidas ecocardiográficas das dimensões internas do V.E., os três AVALIADORES concordaram que o Diâmetro Sistólico Final e Diâmetro Diastólico Final sofreram significante redução na E.I.S.A.P., não se confirmando tal fenômeno de modo uniforme ou significativo para o HGS. Para as espessuras sistólicas e diastólicas da parede posterior (P.P.V.E.) e septo interventricular (S.I.V.), não houve variação significante ou uniforme em todas as variáveis. Houve uma tendência para se espessarem, conforme se aumentava o volume muscular envolvido, atingindo por vezes valores significativos na E.I.S.A.P., embora não concordante para os três AVALIADORES. Concluiu-se que o exercício isométrico é um importante stress cardiovascular, desencadeando alterações hemodinâmicas significativas, em especial quando atuam massas musculares de grande volume. A ecocardiografia Modo M, em pessoas normais e na faixa etária estudada, foi método sensível para identificar as repercussões destas alterações hemodinâmicas sobre as principais variáveis ecocardiográficas que se usa para estimar a função ventricular sistólica. Isto ocorre, principalmente, ao enfocarmos as dimensões internas do ventrículo esquerdo e por vezes, mesmo, na análise da espessura de suas paredes. Os resultados são sugestivos de que o volume da massa muscular engajada numa contração isométrica sustentada tem papel importante no desenvolvimento das respostas cardiovasculares ao exercício isométrico, junto com a duração e percentual utilizado.
[en] The basic purpose of this work is to verify by the analysis of the ventricular performance through echocardiographic parameters, heart frequency and indirect measure of systemic blood pressure if sustained isometric exercises joined with muscle groups of different total muscle mass originate different cardiovascular responses, in spite of working with the same percentual of the maximal voluntary strength and equal duration. It was used as sample, a group of seventeen (17) healthy sedentary individuals, all of them students of medicin at the Universidade Federal Fluminense (UFF), having the medium age of 23,5 years. Representing the group of little muscle volume, we had the performance of the sustained isometrical exercises of sustained handgrip (HGS)*. In the largest muscle volume the sustained isometrical extension of both legs (SIEBL*) was performed. The two of them were performed in a dorsal decumbent position, with the head raised about 30 degrees. The tests had the duration of one (1) minute, working with 50% of the maximal voluntary strength. The HGS was performed by the dominant arm in a decumbent position, and the SIEBL was performed with both legs in an angle of 90° - 100° at the knee level. It was avoided the Valsava maneuver during the tests. After the echocardiographic registers were obtained, these measures were evaluated by three independent appraisers. The hemodynamic parameters – heart frequency, systolic and diastolic blood pressure – showed significant elevation (p<0,05) in both the HCS and the SIEBL tests. Comparing the medium deltas of the efforts’ peakes, the hypothesis of this work was confirmed: the SIEBL unchains the biggest and most significative alterations. For the echocardiographic measures of the left ventricular dimensions, the three appraisers agreed that the FSD* and the FDD* were considerably reduced during the SIEBL tests, what wasn’t confirmed with uniformity or significance in the HGS tests. For the systolic and diastolic thichness of the posterior left ventricular wall and the interventricular septum, a significant and uniform alteration of the variables wasn’t observed. There was a tendency of enlargement of these walls according to the increase of the muscle volume envolved, sometimes reaching significative values in the SIEBL test, although the three appraisers couldn’t reach an agreement. It was conclueded that the isometric exercise is an important cardiovascular stress, unchaining significative hemodinamic alterations, specially when working with muscle mass of large volume. The echocardiography “M”, in normal healthy persons in the age studied in this work was a sensitive method to identify the echoes of these hemodinamic alterations used to estimate the systolic ventricular performance of the main echocardiographic variables. This occurs mainly when the left ventricular dimensions are observed, and sometimes also in the analysis of its wall thickness. The results suggest that the muscle mass volume during a sustained isometric contraction has an important role in unchaining the cardiovascular responses to the isometric exercise with the duration and the percentual MVS* used. * HGS – handgrip sustained. * SIEBL – sustained isometric extension of both legs. * FSD – final systolic dimensions. * FDD – final diastolic dimensions. * MVS – maximal voluntary strength.
   
Titulação: Mestre em Educacao Fisica
   
Programa de Pós-Graduação: Educação Física
   
Área de Concentração: Bases biomédicas da atividade física
   
Linha de Pesquisa: Não possui
   
Contribuidor(es):
[Orientador] Attila Jozsef Flegner**
[Membro da Banca] Nelson Albuquerque de Souza e Silva
[Co-Orientador] Maurício José Leal Rocha
   
Assunto(s):
[pt] EDUCACAO FISICA
[pt] não disponível
   
Local de defesa: Rio de Janeiro - RJ - BR
   
Data da defesa:
[pt] 17/09/1990
[en] 17/09/1990
   
Número de Páginas: 258
   
Arquivo(s):
PDF - pdf-dissertacao
Detalhar Incluir na pasta 
    


Resultado(s) [1 - 1]
Primeira | 1 | Última
Páginas:
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações
Busca  
Busca Avançada »
Pasta de Trabalho » Ajuda
Registros por página

v-IBICT | COPYRIGHT ©
desenvolvido para IE 5.0+
Universidade Federal de Uberlândia www.sibradid.eef.ufmg.br